Domingo, 13 de Outubro de 2019    Responsável: Jota Oliveira    Fone: 67 9988-5920

Evento espera reunir 1 mil apicultores para o fortalecimento do setor


Os apicultores de Mato Grosso do Sul têm investido esforços e tecnificação para o desenvolvimento da produção regional, que nos últimos cinco anos alcançou resultados expressivos, como o 10º produtor nacional de mel. Em termos de volume produzido, o total foi de 1.158 toneladas e R$13,9 milhões de faturamento, segundo levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE 2017).

Na avaliação do médico veterinário e especialista em apicultura, Gustavo Nadeu Bijos, os resultados foram possíveis em razão da implantação de novas técnicas de manejo e ampliação do número de colmeias em produção.

“A apicultura brasileira sempre oscilou entre bons e maus momentos, entretanto, a experiência contribuiu para que elevássemos o nível de profissionalismo no padrão de países com bastante tradição na atividade”, pontua.

A fim de compartilhar experiências e apresentar exemplos de inovação, tecnologia e geração de novos mercados será realizado nos dias 25 e 26 de julho, no sindicato rural de Dourados, a Expo Tecnoapis 2019. A organização espera um público de 1.000 participantes, entre produtores de outras regiões brasileiras e países vizinhos como o Paraguai, Bolívia, Argentina e Uruguai.

“Serão oferecidas palestras, minicursos, exposição de materiais, equipamentos e produtos das abelhas. Um diferencial da exposição será a realização de uma rodada de negócios apícolas com objetivo de reunir compradores e vendedores, os quais poderão fechar contratos de comercialização diretamente, sem intermediários”, explica Bijos.

Além da participação regional e nacional, a meta é atrair produtores de países incluídos no Mercosul, de forma a fortalecer a cadeia produtiva na América Latina.

 

APTIDÃO MS

Na avaliação do médico veterinário, em razão do bioma diversificado, Mato Grosso do Sul apresenta condição de produção em diferentes regiões, como por exemplo: Cerrado, Pantanal e as vegetações nativas da Serra da Bodoquena e Sul do Estado. “Além disso, locais com produção de eucalipto são favoráveis a produção, além de propriedades que cultivam nabo forrageiro, girassol e soja”, revela.

Sobre a polêmica da mortalidade das abelhas que ficam próximas as lavouras de soja, Bijos esclarece que uma questão de falta de comunicação entre apicultores e agricultores. Inclusive, um dos palestrantes é o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Soja), Décio Luiz Gazzoni, que ministrará uma palestra sobre o tema: “Soja e Abelhas: um processo de ganha-ganha”.

“Pesquisas demonstram a potencialidade de aumento na produtividade da lavoura de soja, por conta da visitação das abelhas. Experiências comprovadas e em andamento indicam que, sob condições adequadas de visitação, pode acontecer um incremento de 10% na produtividade de oleaginosa, sem necessidade de qualquer aumento no custo de produção”, relata.

No entanto, o agrônomo explica que para alcançar esses resultados é necessário que os apicultores e sojicultores atendam algumas recomendações básicas. “As regras são baseadas em

uma tríade que incluí diálogo, comunicação e compromisso entre as partes. Boas práticas e apícolas e agrícolas, especialmente na utilização de medidas fitossanitárias”, acrescenta.

Em contrapartida, a falta de atenção com relação ao manejo pode ocasionar dois problemas de grande impacto negativo para os apicultores, a mortalidade de colônias (por uso inadequado de agrotóxicos) e a presença de seus resíduos no mel. Para os sojicultores implica na perda da oportunidade de aumentar a produtividade da lavoura sem custo. “E, no final, perdem todos, os produtores, a sociedade e o país, visto que todos são beneficiários nesta convivência harmoniosa”, conclui.

 

DESAFIOS NO MERCADO

Questionado sobre os gargalos encontrados na atividade, Bijos destaca que a comercialização no mercado interno para os produtores de pequena escala de produção que são a maioria no Brasil, ainda é o principal entrave. Elenca também, a alta carga tributária e a dificuldade em adquirir equipamentos mais modernos e de alto custo.

“Temos uma situação complicada que é a introdução de produtos adulterados ou até mesmo falsificados no mercado nacional, atrapalhando a credibilidade da produção local. Além disso, normas de legislação precisam ser atualizadas e criado um sistema de cadastro dos produtos e empresas no Ministério da Agricultura (Mapa) com rastreabilidade simples ou online”, acrescenta.

 

SOBRE O EVENTO

A Expo Tecnoapis será realizada pela primeira vez no Estado, com foco na inovação e tecnologia na apicultura, objetivando fomentar a cadeia apícola do Brasil e países vizinhos da América Latina. O evento é resultado a parceria entre a NB Consultoria Veterinária, Fazenda das Abelhas e Sindicato Rural de Dourados.

Interessados em participar do evento podem acessar o site http://www.apiculturaprofissional.com/ e ter acesso ao conteúdo que será apresentado nos minicursos, palestras técnicas e oficinas realizadas nos dois dias de exposição.

O endereço da feira é o Parque de Exposições do Sindicato Rural de Dourados, localizado na Rua Valério Fabiano, 100, Jardim Alhambra, Dourados. (Com informações Correio do Estado).

 


Fonte: Correio do Estado