Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019    Responsável: Jota Oliveira    Fone: 67 9988-5920

Projeto incentiva criação de Programa Tecnológico à Terceira Idade


Deputado Zé Teixeira, autor da matéria acredita que medida promoverá maior inclusão digital aos idosos de MS.
Deputado estadual Zé Teixeira, da bancada do DEM na Assembleia Legislativa. (FOTO: Assessoria)

Pessoas com ou mais de 60 anos de idade poderão ter mais um incentivo para buscar o conhecimento quanto ao uso da tecnologia. Isso é o que propõe Projeto de Lei apresentado nesta terça-feira (21), pelo deputado Zé Teixeira (DEM), que autoriza o Poder Executivo a instituir o Programa de Incentivo Tecnológico à Terceira Idade no Mato Grosso do Sul.

A proposta tem como objetivo promover ações com "instruções sobre o uso da internet, acesso a email, manuseio de smartphones e aplicativos" e outras atividades de aprendizagem de ferramentas digitais. A programação aos idosos será realizada nas dependências de escolas públicas e ministrada voluntariamente pelos alunos do Ensino Médio, que queiram e tenham acima de 15 anos de idade.

Quem se propuser à ensinar deverá se cadastrar na diretoria da escola e ministrará a atividade de forma extracurricular, em horário não conflitante com as aulas, com no mínimo de 60 minutos de duração. As despesas da execução da nova lei, caso o projeto seja aprovado, serão decorrentes de dotação orçamentária própria consignadas no orçamento e o Executivo regulamentará a nova norma em até 30 dias após publicação em Diário Oficial.

O deputado justificou que a finalidade é também diminuir a desigualdade digital. "Com o advento das novas tecnologias diariamente a sociedade tem a necessidade de se reinventar e aprender, o que seguramente não deixa mais dúvidas sobre o impacto positivo que o mundo digital pode trazer para as pessoas da terceira idade. E assim os alunos voluntários, de forma acolhedora, estarão inserindo os interessados nas novas tecnologias, colaborando com a inclusão social na melhor idade", argumentou Zé Teixeira.

O projeto agora segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), antes de ser votado em primeira discussão em plenário. (Texto: Gustavo Nunes – Assessoria de Imprensa do Gabinete).


Fonte: Gustavo Nunes - Ascom gabinete