Domingo, 19 de Maio de 2019    Responsável: Jota Oliveira    Fone: 67 9988-5920

Naviraí participa da audiência pública do SUAS em Campo Grande


Na foto, em frente à Assembléia Legislativa do Estado, a caravana de conselheiros que representou Naviraí na audiência. (FOTO: Assessoria)

 

Acompanhada de um grupo de trabalhadores do SUAS do município, entre conselheiros de diversos conselhos de direito vinculados à Assistência Social; usuários dos serviços do SUAS, a gerente Marizélia Mazzini, titular da Assistência Social da Prefeitura de Naviraí participou de uma audiência pública da frente parlamentar em defesa a política de assistência social.

A audiência foi proposta pelo deputado Lídio Lopes e contou com a presença dos deputados Barbosinha, Marçal Filho e Rinaldo Modesto e todos os representantes municipais, SEDHAST, COEGEMAS, CEAS .

A frente parlamentar que está em defesa não só dos serviços socioassistenciais, quanto a regularização dos repasses federativos (+13 parcelas atrasadas, que para realidade de Naviraí se aproxima dos R$ 650 mil reais). Aos olhos dos recursos investidos em outras Políticas parece "irrisório", mas para Assistência um montante essencial para manutenção dos  serviços.

Após retornar oficialmente às atividades nesta terça-feira (30) com a realização de uma audiência pública, a Frente Parlamentar em Defesa da Assistência Social apresentará ao Congresso Nacional carta com os desafios vivenciados pela área no Estado. O encaminhamento foi dado durante o "Ato pela Regularização do cofinanciamento Federal no Sistema Único de Assistência Social (Suas)", realizado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) e proposto pelo deputado Lídio Lopes (PATRI), coordenador da frente parlamentar.

O documento aborda o atraso de recursos financeiros e o aumento da demanda das famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, além de relatar o fechamento de quatro unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) em Mato Grosso do Sul. A carta ainda trata do corte de cerca 50% do orçamento para a Assistência Social, o que impactará diretamente o atendimento de 258 mil famílias no Estado e a manutenção de 652 unidades de atendimento.

Para a Gerente Marizelia o ato é de suma importância, pois segundo ela os direitos estão sendo violados. “Vivemos a margem de uma violação de direitos do próprio Plano Nacional de intervenção de políticas públicas, não temos nem se quer com um percentual destinado aos nossos serviços. Com o corte das transferências de renda teremos instalado o sofrimento social. Os repasses são de maneira não contínua, são idosos e deficientes a mercê desses agravos. Não vivemos de sonhos, vivemos realidade com famílias desassistidas de todas as politicas públicas que remontam na Assistência Social seus problemas. São mães que tem seus filhos dos quais seus pais não auxiliam, são mães que não conseguem sair pra luta do trabalho, porque elas não conseguem administrar o cuidado desses filhos com quem vai ficar. Nós não temos serviços de convivência capaz de comportar todas essas crianças pra que essas mães possam irem na busca de trabalho, quando o governo quer reduzir esses auxílios, ou tirando alguns programas, nós estamos deixando de avaliar a real necessidade que elas têm. Nós estamos falando de crianças que estão sem sonhos pra o futuro e uma criança sem sonho, é um sujeito a mercê de qualquer coisa”. Disse a gerente ao falar na audiência.

Marizélia agradeceu o apoio da administração através do prefeito Dr. Izauri por oportunizar a todos aqueles servidores comprometidos com a assistência social do município em estar buscando novos conhecimentos da realidade enfrentada dentro da politica pública. Profissionais de diversas regiões de MS participaram do evento realizado em Campo Grande. (Texto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura).

 


Fonte: Ascom Prefeitura de Naviraí