Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019    Responsável: Jota Oliveira    Fone: 67 9988-5920

Prefeitura alega prejuízo com chuva e cancela Carnaval na Capital


Em nota, prefeitura informou que decidiu pelo cancelamento para priorizar obras para sanar estragos provocados pelo temporal da terça-feira.
Via parque foi tomada pela enxurrada na terça-feira (FOTO: Henrique Kawaminami)

 

A Prefeitura de Campo Grande informou que cancelou a festa de Carnaval que seria realizada na Avenida Interlagos, de 1º a 5 de março. Segundo nota divulgada pela assessoria, a administração optou em centrar esforços nas obras de recuperação de ruas danificadas pelo temporal de terça-feira.

Segundo a prefeitura, foram 108,2 milímetros de chuva somente na terça-feira, provocando prejuízos após os transbordamentos do Córrego Segredo, no Estrela do Sul e Avenida Ernesto Geisel com a Rachid Neder; no Córrego Prosa, na Via Parque e na altura da Joaquim Murtinho, e transbordamento do lago do Parque das Nações invadiu as ruas próximas

“O temporal provocou muitos danos. Vimos o volume de água que destruiu e inundou diversas ruas e compreendemos que o prefeito volte os empenhos para recuperar os estragos", disse a secretária municipal de Cultura e Turismo, Nilde Brum.

A chuva provocou estragos no asfalto da Avenida Nelly Martins, Dolor de Andrade, Avenida Rachid Neder, e em algumas ruas do Jardim Paradiso, onde o asfalto precisará ser refeito.

Segundo Nilde, apesar do cancelamento da festa na Interlagos, a prefeitura mantém o apoio ao desfile das escolas de samba na Praça do Papa, nos dias quatro e cinco de março, e dos blocos oficiais e independentes na esquina da Avenida Calógeras com Rua Maracaju e na Esplanada Ferroviária de 2 a 5 de março.

 

PROJETO

A Prefeitura depende da captação de US$ 82 milhões para viabilizar obras previstas no Programa de Desenvolvimento Sustentável de Campo Grande, destinadas ao controle de enchentes.

Os projetos, apresentados em Brasília, contemplam a construção de bacias de detenção e barragens de amortecimento; drenagem e pavimentação; continuidade das obras de revitalização do Anhanduí, chegando até as avenidas Campestre e requalificação (reforço da drenagem e recapeamento) das avenidas Campestre, Manoel da Costa Lima e Ernesto Geisel (entre as avenidas Salgado Filho e Mascarenhas de Moraes), além da Rua Antônio Maria Coelho.

As represas e bacias de amortecimento previstas estão orçadas em US$ 13,3 milhões. Elas terão capacidade para reter 204 milhões de litros de águas pluviais, evitando que os córregos Prosa, Segredo, Sóter e Imbirussu transbordem. (Com informações Sul News).

 


Fonte: Sul News